<>

Home » Poesias Domingo, 16 de Dezembro de 2018







[ A ] [ B ] [ C ] [ D ] [ E ] [ F ] [ G ] [ H ] [ I ] [ J ] [ K ] [ L ] [ M ] [ N ] [ O ] [ P ] [ Q ] [ R ] [ S ] [ T ] [ U ] [ V ] [ W ] [ X ] [ Y ] [ Z ] [ 1 ... 9 ]



por: Itamar de Aguiar Fernandes

Folhas secas levadas no vento, outrolamento. O canto fúnebre das cigarras, melodia triste, raios de sol que tarde persiste. Verão que lá vem trazendo o calor, a floresta se abre em braços de louvor. Nos campos a seara, sementes de esperança, alimento da alma, alegria de criança. Temporada de flores, balet das cores, orquídias e azaléias, girassóis e bromélias, num abraço de luz, chamas de vida, que a Deus conduz. Terra de encantos mil, berço da minha devoção, escutai estes meus versos em forma de oração: de tudo que nos destes, da chuva à plantação, a maior riquesa poré, nos vem da criação, da belêza do édem, à grandeza do perdão. Itamar Fernandes