<>

Home » Poesias Quarta-Feira, 22 de Novembro de 2017







[ A ] [ B ] [ C ] [ D ] [ E ] [ F ] [ G ] [ H ] [ I ] [ J ] [ K ] [ L ] [ M ] [ N ] [ O ] [ P ] [ Q ] [ R ] [ S ] [ T ] [ U ] [ V ] [ W ] [ X ] [ Y ] [ Z ] [ 1 ... 9 ]


A mulher quando ama
por: Oracio Bocchi



A mulher quando ama
Comprova seu amor
Em carinho, paixão e fidelidade.
Quase não reclama
Esconde mágoa e dor
Preferindo sempre a tranqüilidade.

Delicadeza é sua chama
Com dedicação e louvor
Na busca da paz com capacidade.
Sua presteza derrama
Seus cuidados com fervor
Transparente com a graciosidade.

Não anda atrás de fama
Seu caráter é superior
E doa com responsabilidade.
É calma e não se inflama
Pura de beleza como a flor
Na entrega da vida com afinidade.

Ela está sempre vigilante.
Conservando sua paixão.
Contra qualquer ameaça fatal.
Seus olhos de pura amante.
Observa esperta toda ação.
Para não ocorrer nada prejudicial.

Ela vira uma fera marcante.
Na defesa de seu coração.
Porque sua defesa é sensacional.
Quem se atreve arrogante.
Cair nessa grande tentação.
Vai travar uma briga descomunal.

Impõe sua garra cicatrizante.
Numa luta sem compaixão.
Contra alguma intrusa ocasional.
A vitória é certa e elegante.
Com capacidade e disposição.
Para manter serenidade no casal.

Infeliz do homem insolente.
Que a ela não dá valor.
Procurando saciar sua ambição.
Sem perceber que mente.
Com seu gesto de traidor.
Condenado por sua transgressão.

Estará perdendo proeminente.
Aquela que é um esplendor.
Na felicidade e na consagração.
Encontrará uma fera inerente.
Capaz de virar tudo em pavor.
Explodindo a saudável união.

Vai jogar tudo como torrente.
Nas amarguras sem ardor.
Perdendo por sua má inspiração.
Tudo assim é surpreendente.
Quando se faz por conquistador.
Arruinando uma vida de emoção.

A mulher quando ama
Com dedicação e louvor
E doa com responsabilidade.
Quase não reclama
Seus cuidados com fervor
Na entrega da vida com afinidade.